Costa dos Corais integra mapeamento de infraestrutura de transportes feito pelo MTur e LabTrans

O Ministério do Turismo (MTur) e o Laboratório de Transportes e Logística da Universidade Federal de Santa Catarina (LabTrans/UFSC) realizaram um diagnóstico das infraestruturas de transportes existentes nas 10 rotas turísticas estratégicas da Região Nordeste, contempladas no programa Investe Turismo.

Publicidade

Incluída na relação, a Rota Maceió e Costa Dos Corais fez parte do mapeamento que abordou, ainda, os modais de transporte das rotas Salvador e Morro de São Paulo; Rota das Emoções; Aracaju e Cânions do São Francisco; Recife, Olinda e Porto de Galinhas; Fernando de Noronha; Costa do Descobrimento; Teresina e Serra da Capivara; João Pessoa e Litoral; e Natal e Litoral

A Rota Maceió e Costa Dos Corais é composta por sete municípios alagoanos que fazem parte de duas regiões turísticas. Costa dos Corais: Barra de Santo Antônio, Japaratinga, Maragogi, Porto de Pedras, São Miguel dos Milagres e Passo de Camaragibe; e Grande Maceió, com destaque para o município de Maceió.

Vale lembrar que a malha rodoviária da região Norte do Estado vem recebendo investimentos robustos por parte do Governo de Alagoas, tanto em recuperação das vias de Maragogi até Maceió, como na duplicação da AL-101 Norte, no trecho entre a capital e Paripueira e que se estenderá até a Barra de Santo Antônio.

Outro investimento importante do Governo de Alagoas é a construção do Aeroporto Costa dos Corais, em Maragogi.

De acordo com o MTur, a iniciativa se relaciona com as ações promovidas pelo Fórum de Mobilidade e Conectividade Turística (Fórum MOB-Tur). O material possibilitará o planejamento do transporte turístico de passageiros para ofertar melhores condições de deslocamento aos destinos turísticos brasileiros.

Nos municípios que integram as rotas foram levantadas informações como a identificação das cidades pertencentes, de trechos ferroviários, portos organizados com terminais de passageiros, instalações portuárias de turismo e aeroportos.

Também foi possível traçar as condições de transporte, incluindo a estrutura existente, integração dos modais e a disponibilidade de informações aos turistas.

Para ver o relatório na íntegra, clique AQUI.

A secretária nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões, Débora Gonçalves, destaca que o mapeamento demonstrou o potencial de desenvolvimento da infraestrutura aquaviária na região.

“A Região Nordeste é uma das mais visitadas do país, conhecida por ser um destino de sol, praia e cultura. Além disso, a região tem a vocação natural para o turismo náutico. Com este diagnóstico, será possível direcionar ações e investimentos para o desenvolvimento e fortalecimento do segmento de turismo náutico de lazer e esporte”, destaca.

Ainda de acordo com a Pasta, o diagnóstico integra apenas a primeira fase da parceria entre o MTur e o LabTrans. A próxima etapa, garante, será propositiva e terá como principal entrega o Plano Diretor de Mobilidade e Conectividade Turística. Nesse momento, será possível elaborar diretrizes para orientar todo o país a partir de ações com aplicabilidade em todos os municípios.

Ações

Além do estudo desenvolvido no âmbito desta parceria, a Secretaria Nacional de Atração de Investimentos, Parcerias e Concessões está organizando uma reunião extraordinária do Fórum de Mobilidade e Conectividade Turística para desenvolver o tema do turismo náutico no Nordeste, com previsão de data para abril de 2022.

Publicidade

Adicionalmente, o Ministério do Turismo lançou, no último dia 8 de março, um conjunto de entregas para promover e potencializar esse segmento no país, a exemplo do Portal do Turismo Náutico (turismonautico.turismo.gov.br), onde é possível obter informações específicas.

Outra iniciativa em curso, refere-se ao Termo de Execução Descentralizada (TED) para o desenvolvimento de infraestruturas de turismo náutico no Brasil, firmado entre o Ministério do Turismo e a UFSC/ LabTrans.

O termo tem por objetivo realizar estudos para diagnosticar a atual situação de marinas, píeres e rampas de apoio náutico no Brasil, evidenciando potencialidades turísticas e necessidade de investimentos.

Além disso, serão desenvolvidos projetos conceituais para tipologias definidas e, posteriormente, elaborados anteprojetos de estruturas e instalações de apoio náutico destinadas ao turismo náutico de recreio e esporte em oito localidades selecionadas, informa o Ministério.


Com Ascom Sedetur

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s