Com R$ 14 bi em prejuízos por causa da pandemia, setor turístico pede socorro ao governo federal

Entidades ligadas ao turismo no Brasil lançaram, na quinta-feira (30), em São Paulo, a Carta Aberta do Turismo ao Governo Federal – Colapso Iminente. No documento, as instituições pedem um “auxílio adicional” para conter os efeitos negativos da pandemia provocada pelo novo coronavírus (Covid-19), além das medidas transversais já adotadas por Brasília.

“É o momento do Governo Federal dar prioridade para o turismo, onde o motor da atividade: resorts, hotéis e parques necessitam de um auxílio adicional para sobreviverem. Já estão na UTI! Precisam de ‘respiradores’ e um remédio de uso contínuo por três anos para conseguir sua alta, ou seja, recuperação completa”, diz a carta.

O documento pede a prorrogação da suspensão do contrato de trabalho por meio da Medida Provisória (MP) n° 936 para o turismo, cuja retomada do setor será mais lenta; a liberação imediata de crédito para pequenas, médias e grandes empresas do setor.

“E, por fim, mas não menos importante, a criação de estímulos fiscais para encurtar ao máximo a etapa de recuperação deste importante setor, grande gerador de empregos e indutor de forte impacto socioeconômico”, acrescenta a carta.

A indústria do turismo foi a primeira e será, certamente, a última a retomar sua normalidade no pós-pandemia. O documento cita que no Brasil, até o momento, o setor já contabiliza R$ 14 bilhões em prejuízos desde o início da crise. Já foram registradas 295 mil demissões, impactando 571 atividades econômicas dependentes do segmento de viagens.

“O efeito dominó diante da paralisação da atividade turística de lazer e de negócios pode levar à falência não apenas de empresas, mas também de inúmeros municípios espalhados pelas cinco regiões do país que têm suas atividades diretamente ligadas ao setor”, reforça o documento.

“Mais do que salvar 8,1 % do PIB Nacional é vital salvar toda a cadeia de empregos, diretos, indiretos, formais e informais, que atuam em todo setor do turismo do nosso país, do Oiapoque ao Chuí!”, finaliza.

Assinaram a carta: Sérgio Souza, presidente da Resorts Brasil (Associação Brasileira de Resorts); Manoel Cardoso Linhares, presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis (ABIH); Orlando de Souza, presidente-executivo do Fórum de Operadores Hoteleiros do Brasil (FOHB); Alexandre Sampaio, presidente da Federação Brasileira de Hospedagem e Alimentação (FBHA); Murilo Pascoal, presidente do Sistema Integrado de Parques e Atrações Turísticas (SINDEPAT); Vanessa Costa, presidente da Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil (ADIBRA); Toni Sando, presidente da União Nacional de CVBx e Entidades de Destinos (UNEDESTINOS); Simone Scorsato, diretora-executiva da Brazilian Luxury Travel Association (BLTA).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s