Atividade aquece e São José sobe de categoria no Mapa do Turismo nacional

“A bola da vez no turismo de Pernambuco é São José da Coroa Grande”. A afirmação é do empresário Tarso Vasconcelos, 44 anos. Por acreditar no potencial do município, ele investiu R$ 5 milhões para construir o receptivo e restaurante Miráculo, encravado entre a PE-060 e a praia da cidade.

Miráculo fica à margem da PE-060 e de frente para o mar de São José da Coroa Grande (Fotos: Severino Carvalho)

O receptivo de Tarso é um dos três que foram erguidos no ano passado em São José da Coroa Grande. Um quarto ainda está sendo construído no município. O surgimento de novos empreendimentos turísticos só comprova o crescimento da atividade em São José.

“A bola da vez no turismo de Pernambuco é São José”, afirma Tarso

Esse aquecimento da atividade turística foi captado pelo termômetro do Ministério do Turismo (MTur). O Mapa do Turismo 2019 reclassificou São José da Coroa Grande, que passou da categoria C, posto que ocupava desde 2016, para a B.

Para classificar os municípios no Mapa do Turismo, o MTur leva em consideração cinco variáveis: quantidade de empregos formais, de estabelecimentos formais de hospedagem, estimativa de turistas internacionais e de turistas domésticos, além da arrecadação desses empreendimentos. O de Tarso gera 50 empregos.

Miráculo é um dos três receptivos construídos recentemente em São José

“Esse empreendimento é rico em detalhes. São seis ambientes diferenciados. A cozinha é bem funcional; temos dois tipos de alimentação aqui: buffet e à la carte. A casa comporta confortavelmente 500 pessoas, podendo chegar a 800, quando usamos a parte perto da praia”, detalhou Tarso, que até pensou em investir no vizinho município de Maragogi.

“São José é uma praia inexplorada. Eu investi aqui por isso: não queria ser mais um em Maragogi”, justificou.

Retomada

A rede hoteleira de São José possui quinze pousadas e dois hostels, que juntos totalizam 400 leitos. Para Plínio Guimarães, professor do Curso Técnico em Hospedagem do Instituto Federal de Pernambuco (IFPE), campus Barreiros, o município passa por um movimento de retomada da atividade turística, após um período de fechamento de empreendimentos hoteleiros importantes.

“São José já teve um papel de destaque muito maior no turismo regional. Até o início da década de 1990, era bem mais conhecido do que Maragogi, talvez até do que Tamandaré. Possuía hotéis bem estruturados como o antigo Hotel do Sol, Hotel do Francês. A importância de São José era tão grande para o turismo regional daquela época que o primeiro hotel de Maragogi, o Maragogi Praia Hotel, inaugurado em 1986, foi construído aqui na divisa com São José da Coroa Grande, em Peroba”, recordou.

“Essa região está se consolidando como um grande corredor turístico”, diz Plínio

Para Plínio Guimarães, a retomada da atividade turística em São José da Coroa Grande se dá, na atualidade, por quatro motivos: a formação de um corredor turístico regional entre o Sul de Pernambuco e o Norte de Alagoas; as novas tecnologias por meio de sites e aplicativos de buscas; a organização do trade turístico e uma Secretaria Municipal de Turismo mais atuante.

“Essa região está se consolidando como um grande corredor turístico. Isso tem trazido uma demanda. Agregado a isso vem a questão tecnológica. Quase todos os aplicativos de reservas e pesquisas de meios de hospedagem têm mecanismos inteligentes que, quando você busca determinado destino, eles mostram toda a região”, observou Plínio Guimarães.

O professor acrescenta que, ao buscar por destinos consolidados como Maragogi, Tamandaré (praia de Carneiros) e Ipojuca (Porto de Galinhas), automaticamente São José é apresentado aos internautas.

“Isso tem permitido que as pessoas comparem preços e, ao fazerem isso, percebam que São José da Coroa Grande é muito mais barato, muito próximo de Maragogi e com características parecidas. Então, eles têm ficado aqui para conhecer toda a região. Muita gente despertou para isso”, acrescentou.

Associação

Em 2017, os empresários de São José da Coroa Grande criaram a Associação do Trade Turístico Coroense (ATTCOR), que atualmente conta com 26 integrantes. Segundo a presidente da entidade, Michele Belo, o objetivo da instituição é trabalhar de forma colaborativa para divulgar, promover e desenvolver a atividade turística no município.

“A associação vem fazendo um trabalho de divulgação do município, principalmente nas redes sociais; participando de feiras, realizando projetos em parceria com o setor público e fazendo a captação de investidores”, explicou a presidente da ATTCOR.

Atividade turística vem crescendo em São José

O professor Plínio Guimarães afirma que o associativismo é o caminho a ser seguido. Ele citou os casos de sucesso ocorridos em Porto de Galinhas e em Maragogi, onde surgiu a Ahmaja (Associação do Trade Turístico) e, posteriormente, o Costa dos Corais Convention & Visitors Bureau (CCC&VB).

“A Ahmaja iniciou justamente a partir do exemplo de Porto de Galinhas. Os pioneiros de lá foram até Porto de Galinhas e fizeram um intercâmbio. Isso foi um estímulo para a Ahmaja. Hoje, a Ahmaja está servindo de estímulo para a ATTCOR”, comparou Plínio Guimarães, que foi sócio-fundador da Ahmaja e é sócio-colaborador da Associação Coroense.

2 comentários sobre “Atividade aquece e São José sobe de categoria no Mapa do Turismo nacional

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s